Terça, 11 de maio de 2021
(86) 9 99834382
Canto do Buriti-PI

Canto do Buriti-PI

Profº. Flávio Amorim - DRT/PI Nº 0002309 Blog do município de Canto do Buriti
[email protected]
(89) 98101-0078
Canto do Buriti

Postada em 20/02/2021 ás 13h19 - atualizada em 20/02/2021 ás 13h30

Publicada por: Profº. Flávio Amorim - DRT/PI Nº 0002309

Fonte: Redação

ARTISTA AMARANTINO FAZ DESENHOS HIPER-REALISTAS INCRÍVEIS NO PIAUÍ
USANDO APENAS LÁPIS DE COR, GRAFITE E PAPEL SULFITE
ARTISTA AMARANTINO FAZ DESENHOS HIPER-REALISTAS INCRÍVEIS NO PIAUÍ

Foto: Divulgação

 

O artista plástico amarantino Francisco Nunes (35) concedeu entrevista ao Portal falanordeste.com para falar da sua arte, carreira e da sua história.

Nascido na cidade de Amarante-PI, há 160,9 km da capital Teresina, Francisco Nunes inicia a entrevista falando do começo da história e da sua infância na sua cidade natal Amarante no sul do Estado do Piauí. Segundo ele começou a trabalhar muito cedo para ajudar no sustento da família que era muito humilde. Aos 10 anos já trabalhava com os pais e os irmãos na roça e quando não estava na roça vendia frutas de porta em porta em todos os bairros da cidade.

Trabalhou na Prefeitura de Amarante na carpina de terremos baldios e recolhendo lixo nas ruas da cidade. O dinheiro que ganhava com estes trabalhos era muito importante para ajudar no sustento da família, seus pais nunca tiveram emprego, não sabem ler e nem escrever, mas sempre fizeram de tudo para que os filhos estudassem. Meus pais trabalhavam na roça para ter o sustento da família, comprar roupas e alimento para os filhos, vendiam as frutos e legumes que plantava na roça de porta em porta.

Segundo Francisco Nunes, com oito anos já desenhava paisagens, mapas, animais e outras coisas que gostava, com o passar do tempo em 2010 perdeu um irmão muito querido, esse acontecimento lhe causou uma depressão ficando sem desenhar até 2013, quando voltou a desenhar e começou a desenhar rostos, lembro-me que desenhava e saia na rua perguntando para as pessoas com quem aquele rosto parecia. E as pessoas diziam parece muito com a foto. Passei por uma fase tensa da minha carreira onde fui muito criticado por causa da minha arte, tinha gente que me chamava de louco dos desenhos, que nunca conseguiria vender um retrato. Que ninguém queria meus retratos, quando eu chegava em algum estabelecimento para expor me arte os donos logo dizia, tira isso daqui ouvia muitos palavrões, mas nunca revidei, sempre tratava as pessoas com um sorriso no rosto e com muito respeito e humildade da forma como meus pais me ensinaram. Nunca desisti do meu sonho de fazer desenhos para as pessoas ver e gostar, e hoje já mandei os meus desenhos para 18 Estado do Brasil

Os desenhos hoje estão me ajudando a ter minha casa própria poder ajuda mais a minha família e sempre procuro agradecer a Deus e meus clientes e muita gente que estão me ajudando a divulgar minhas obras, hoje atendo qualquer cidade do Brasil!

Que artistas te inspiraram no início de sua carreira? Quando comecei não tinha rede social e nem celular, sempre usava papel na parede. Nunca cheguei me inspirar em nenhum artista especifico, Não tinha rede social para me inspirar nos artista, criei meu próprio estilo.

Que materiais você usa nestes retratos? Tenho usado lápis de cor, grafite e papel sulfite comum. Muita gente fica impressionada com o nível de realismo que alcanço. Mas, na verdade, o mais importante é a observação. Onde alguns veem cores escuras, eu vejo várias cores: isso dá mais realismo ao trabalho. É preciso muita observação para captar a essência das pessoas e os traços.

Onde seu trabalho é divulgado? Somente na rede social Facebook (https://m.facebook.com/profile.php?id=100016346954843) e no Instagram (https://www.instagram.com/p/CLfzElfplgU/?igshid=as1u0ap8f4td) Há sempre uma expectativa de quando vou postar o próximo desenho, meus seguidores ficam perguntando. Faço os retratos, a preços bem acessíveis, a partir de uma foto, e envio pelo correio ou pela internet. Quanto mais nítida a foto estiver, mais detalhes consigo captar. A maioria dos trabalhos faço à distância.

Quanto tempo, leva para fazer cada retrato? Depende muito do tipo de retrato e tamanho as vezes demoro até dois dias. Por que é detalhado. Por exemplo se é um rosto de uma pessoa idosa, tem muita marca de expressão por isso é mais trabalhoso. Quando é o rosto de uma criança, as formas são mais suaves, mais leves e fáceis de serem retratadas.

Meu sonho hoje é ter meu ateliê, sinto que vou conseguir, vai dá certo. Finalizou Francisco Nunes.

 

 

 

 

Fala Piauí no Facebook:
imprimir

Veja também

»
Últimas notícias
Últimas municípios
Vídeos
Mais lidas da semana

Facebook

»

Twitter

»

Enquete

»

Nenhuma enquete cadastrada.

Receba notícias do Fala Nordeste pelo WhatsApp WhatsApp
© Copyright 2021 - Fala Nordeste - Todos os direitos reservados - E-mail: [email protected]
Site desenvolvido pela Lenium