Quinta, 02 de abril de 2020
(86) 9 81736994
coronavirus
Coronavírus

Postada em 22/03/2020 ás 17h16

Publicada por: Liliane Alves

Covid-19: Em estado grave, idosa de 75 anos tem melhora com hidroxicloroquina
A assessoria da rede afirma que são os primeiros a aplicar o remédio.
Covid-19: Em estado grave, idosa de 75 anos tem melhora com hidroxicloroquina

Foto: reprodução

A notícia que a hidroxicloroquina e a cloroquina podem ser aliadas no tratamento da covid-19 rodou o mundo em pouco tempo. No Brasil, hospitais da rede Prevent Senior, Sírio Libânes e Albert Einstein anunciaram que vão avaliar como o iniciar protocolos e pesquisas para administrar a droga em pacientes com quadros graves causados pelo novo coronavírus. As informações são do UOL.

Com 75 anos, a mãe dos diretores-fundadores da Prevent Senior, Fernando e Eduardo Parrilo, está internada em estado grave e é uma das primeiras pacientes a testar o tratamento com a cloroquina e a azitromicina (antibiótico usado para impedir infecções oportunistas), de acordo com Pedro Benedito Batista, cirurgião-geral e diretor-executivo da rede. A assessoria da rede afirma que são os primeiros a aplicar o remédio.

"Introduzimos a medicação de terça para quarta-feira e ela teve uma evolução grave até sexta-feira, com os exames mostrando piora severa. No sábado, a paciente apresentou melhora significativa, com um padrão de ventilação pulmonar extremamente avançado. Estamos muito esperançosos que isso tenha sido por causa da droga, já que ela estava muito mal até começar o uso", aponta Batista.

De acordo com o diretor da rede, estudos apontam que o organismo do paciente começa a reagir à droga após cerca de cinco dias. "Ela está evoluindo bem, e se continuar assim, já teremos um parâmetro para passar para os outros pacientes e dar alento às famílias na mesma situação."

"Esperança é maior que o risco" 

Quando questionado sobre os riscos do tratamento, Batista explicou que a toxicidade da droga não é alta e está sendo usada em ambiente controlado. "Ela só está sendo administrada em pacientes em estado grave, nos quais consideramos que o risco do remédio é menor do que a esperança que ele oferece.".

Medicamento não deve ser usado em casa

Apesar do bom prognóstico mostrado na paciente e em pesquisas, os médicos enfatizam que o uso da cloroquina não deve ser feito para prevenir a covid-19. Ressaltando, não funciona como profilaxia. Além de não haver nenhuma evidência que isso poderia funcionar, a ingestão pode oferecer riscos como alterações na visão e cardiopatias. "Cada caso deve ser avaliado criteriosamente pela equipe médica —inclusive os internados em estado grave", diz Bastista. 

Fala Piauí no Facebook:
imprimir

Veja também

»
Receba notícias do Fala Nordeste pelo WhatsApp WhatsApp
© Copyright 2020 - Fala Nordeste - Todos os direitos reservados - E-mail: [email protected]
Site desenvolvido pela Lenium