Domingo, 22 de setembro de 2019
(86) 9 9983-4382
Cocal

Postada em 12/06/2019 ás 09h34

Publicada por: Redação Fala Nordeste

Prefeito de Cocal diz que 'denuncismos' de Operação do MP são absurdos
Diante da repercussão do caso, a Prefeitura de Cocal nos enviou nota desqualificando a denuncia apresentada pelo MP.
Prefeito de Cocal diz que 'denuncismos' de Operação do MP são absurdos

Foto: Reprodução

A prefeitura municipal de Cocal enviou nesta quarta-feira (12) nota de esclarecimento acerca da ''Operação Escamoteamento'' . (Veja a matéria).

O Ministério Público do Piauí divulgou nessa última terça-feira (11) que apresentou ao Tribunal de Justiça do Piauí denúncia-crime contra o prefeito de Cocal, Rubens de Sousa Vieira, e sua esposa, Deuzenir dos Santos Portela.

Segundo o MP, durante as investigações da Operação Escamoteamento, ficou comprovado que os gestores participaram do desvio de recursos públicos de Cocal por meio de licitações fraudulentas entre os anos de 2013 a 2017.

Dessa forma, eles são acusados de organização criminosa, corrupção passiva, fraude à licitação, lavagem de dinheiro e crime funcional já que ocupa o cargo de Prefeito.

Diante da repercussão do caso, a Prefeitura de Cocal nos enviou nota desqualificando a denuncia apresentada pelo MP.

Confira a nota na íntegra:

NOTA PÚBLICA 

Sobre matéria veiculada na data de ontem, 11/06, na página virtual do Ministério Público do Estado do Piauí, com a manchete "Operação Escamoteamento: GAECO/MPPI apresenta denúncia contra prefeito de Cocal e esposa", o Prefeito Municipal de Cocal, Senhor Rubens de Sousa Vieira, esclarece, em face das informações disseminadas, que: 

1) Tomou conhecimento da denúncia pelas redes sociais e imprensa, não tendo sido oficialmente citado de todo o conteúdo do processo, reservando o direito de se manifestar posteriormente, após ter acesso aos autos; 

2) Está tranquilo, teve ontem mais um dia de trabalho na Prefeitura, dedicado ao atendimento da população e demandas de interesse da gestão pública local, focada em aprimorar plataforma para o desenvolvimento e governança municipal, pelo que mantém suas incumbências regulares de trabalho no Município; 

3) Sobre o processo, usará do direito de contraditório e ampla defesa assegurado, para demonstrar que eventuais alegações contidas em denúncia não são verdadeiras quanto à sua pessoa, e, também, por nenhuma maneira, quanto à sua esposa, sendo totalmente improcedentes quaisquer alegações, pois, baseadas em ilações que não se sustentam; 

4) Acredita, na mesma linha de rejeição de denuncismos absurdos já posicionados no Judiciário brasileiro, sejam rechaçados os argumentos que, desde o início da Operação Escamoteamento, em abril de 2016, já se mostraram infundados, posto que, além de não envolverem diretamente qualquer ato do Prefeito ou sua esposa, foram baseados apenas em delação premiada e sem provas; 

Pelo que aguarda demais encaminhamentos, e mantém seu compromisso com Cocal, primando pela legalidade e transparência dos atos. Lamenta, ainda, ver o uso desse episódio como fonte midiática e tentativa de criação de fato político a qualquer custo. 

Cocal, 12 de junho de 2019.

Fala Piauí no Facebook:
imprimir

Veja também

»
Receba notícias do Fala Piauí pelo WhatsApp WhatsApp
© Copyright 2019 - Fala Piauí - Todos os direitos reservados - E-mail: [email protected]
Site desenvolvido pela Lenium